Aventais Cirúrgicos

Aventais cirúrgicos são usados para proteger a equipe cirúrgica e o paciente. A escolha do avental adequado pode ser feita melhor quando se tem um bom conhecimento das cirurgias e procedimentos em que será usado. É importante saber quais são as características necessárias e desejadas para os aventais cirúrgicos, e conhecer os métodos de teste que possibilitam efetuar comparações quantitativas do desempenho. (1)

Barreira contra penetração de líquidos: Este tipo de barreira serve para proteger a equipe cirúrgica dos líquidos usados na irrigação, assim como do sangue e dos fluidos corpóreos do paciente. Como a pele nem sempre constitui uma barreira intacta (ex.: cortes, abrasões, prurido, eczema, etc.), líquidos contaminados que passam pelo material do avental (característica de penetração) podem colocar o usuário do avental em risco. Também há maior risco de infecção para o paciente, caso algum líquido penetre no avental, pois as bactérias de quem está usando o avental podem atravessar o tecido usando o líquido como meio de transporte. Após alcançar a superfície externa do avental, as bactérias e vírus podem entrar na incisão cirúrgica e atuar como "sementes" de infecção do sítio cirúrgico.

As avaliações da proteção proporcionada por barreiras contra líquidos incluem vários componentes. Os níveis de desempenho são determinados usando-se diversos 1) líquidos de teste 2) níveis de pressão aplicada e áreas do avental que está sendo testado.

Barreira contra penetração de aerossol que contém bactérias, vírus e de partículas secas que contêm esporos: O movimento e a pressão do contato com a mesa de cirurgia podem produzir um efeito de fole, forçando o ar a passar pelo avental. Como as células cutâneas se descamam continuamente, o ar da parte interna do avental que é forçado para fora pode transportar microorganismos para o outro lado do tecido, isto é, para a área cirúrgica. Os testes de desempenho também demonstram a capacidade do avental de proteger o usuário durante cirurgias ou procedimentos que geram aerossol, como durante o uso de furadeiras e serras elétricas, ou durante irrigação intensa de feridas infeccionadas ou contaminadas. Os testes empregam uma névoa de gotículas mínimas que contêm microorganismos ou um aerossol muito seco de talco misturado com esporos bacterianos. O ar contaminado é sugado através do tecido usando uma fonte de vácuo. Esses testes, embora muito importantes, não são exigidos na fabricação de aventais; é necessário solicitá-los ao fornecedor.

A comprovação mínima de barreira microbiana se dá através de laudos de eficiência de filtração bacteriana (BFE), viral (VFE) e esporos da matéria prima - SMS Grau Médico. Laudos de composição e gramatura; álcool repelência que designa barreira a menor partícula contaminante (WSP) e comprovação anti-estática da matéria prima.

Resistência à abrasão: Quando o braço do cirurgião encosta nos campos cirúrgicos, ou quando seu corpo encosta na mesa como que raspando para cima e para baixo, a abrasão produzida pode afetar negativamente a resistência do material do avental a líquidos e a rasgos. A abrasão também produz o desprendimento de fibras. Se as fibras desprendidas se depositarem na ferida aberta ou nos instrumentos que subsequentemente serão usados na ferida, haverá risco de ocorrência de uma série de complicações pós-cirúrgicas (descritas a seguir). Os testes de abrasão devem ser feitos em aventais secos e molhados, para simular as condições de uso. Dependendo do método de fabricação, a laminação de certos materiais pode se desfazer quando o avental é molhado.

Força tênsil: Os aventais precisam ser suficientemente resistentes para tolerar a tensão produzida durante o uso, em condições secas e molhadas. As avaliações de força tênsil testam a capacidade do avental de resistir a ruptura, rasgo e perfuração.

Desprendimento de fibras e partículas: Diferentes materiais podem variar substancialmente quanto à quantidade de fiapos que produzem. Se as partículas ou fibras desprendidas do material contaminarem a ferida cirúrgica, elas podem transportar microorganismos provenientes da equipe cirúrgica ou de qualquer ponto da sala de cirurgia. Também podem aumentar o risco de infecção, interferindo na resposta imunológica do paciente; e podem levar à formação de granulomas e adesões, pois o organismo pode responder à presença de corpos estranhos ou apresentar uma reação retardada de hipersensibilidade a substâncias químicas contidas nas fibras. Qualquer material que contenha celulose é especialmente reativo.

Inflamabilidade: Há várias fontes de ignição potenciais na sala de cirurgia, incluindo lasers cirúrgicos, componentes endoscópicos de fibra óptica, unidades eletrocirúrgicas e serras ou furadeiras de alta velocidade (calor produzido por fricção). Todos esses elementos, junto com apresença de combustível em um ambiente de alto teor de oxigênio, podem causar incêndios devastadores. O material do avental deve ser resistente à ignição. A comprovação de aprovação segundo o padrão 16 CFR 1610 deve fazer parte das exigências referentes às especificações. Os aventais não devem se inflamar quando uma fonte de ignição, como, por exemplo, uma unidade eletrocirúrgica, encostar neles. Vale notar, contudo, que materiais inflamáveis colocados sobre materiais resistentes à ignição inflamam-se e, nesse caso, mesmo o material resistente à ignição, que está por baixo, pode entrar em combustão.

Propriedade eletrostáticas: Alguns materiais podem produzir faíscas que podem servir como fonte de ignição de incêndios. Embora o uso de agentes anestésicos inflamáveis tenha sido descontinuado nos Estados Unidos, numa tentativa de reduzir esse risco, o uso da ventilação enriquecida com oxigênio e de lenços de limpeza e produtos de preparação cutânea que contêm álcool aumentou o risco de incêndio na sala de cirurgia. É importante que o material dos aventais dissipe energia eletrostática, em vez de acumulá-la, pois ela pode ser liberada como faísca de ignição.

Conforto: É impossível se concentrar totalmente em um procedimento cirúrgico se as vestimentas de proteção são incômodas, muito rígidas ou desconfortáveis. Testes de drapejamento (maleabilidade) e de permeabilidade ao ar (respirabilidade) são importantes, especialmente na fase de concepção do avental, pois fornecem dados quantitativos úteis – contudo, ainda mais importante na avaliação pré-compra, é a opinião das pessoas que usam os aventais.

I - Avental para procedimentos não cirúrgicos.

Definição da CDC (Centers for Disease Control) em relação aos EPI´s:

 “Aventais são empregados como parte do equipamento de proteção individual (EPI), para minimizar a passagem de microrganismos para pacientes cirúrgicos e também a exposição dos profissionais de saúde aos agentes infecciosos, particularmente os transmitidos pelo sangue (HIV, hepatites B e C). O risco de aquisição destes agentes é através do contato de lesões cutâneas ou membranas mucosas com fluidos corpóreos contaminados.

O avental é considerado um EPI, juntamente com óculos. Máscara e luvas. O seu emprego depende do grau de exposição previsto durante a realização do procedimento invasivo, avaliando-se a condição da exposição (contato com face, mãos ou corpo), tipo da exposição (presença de fluidos, gotículas ou aerossóis), quantidade de sangue ou fluido corpóreo e duração da exposição. São também utilizados para prevenir a transmissão cruzada de microrganismos.

Os aventais são recomendados pelo CDC e devem ser usados pela equipe de saúde durante os cuidados a pacientes com microrganismos epidemiologicamente importantes, para reduzir o risco de transmissão desses agentes para pacientes, artigos ou ambiente”.

Fonte: Rutala WA, Weber DJ. A review of single-use and reusable gowns and drapes in health care. Infect Control Hosp Epidemiol, 2.001.22(4): 248-257
________________________________________________________________ 

Jaleco/Avental é um Equipamento de Proteção Individual - EPI?

De acordo com a NR-6 do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE: -6.1 …considera-se Equipamento de Proteção Individual – EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho ;Os EPI´s necessitam de Certificado de Aprovação – CA e no site do MTE é possível consultar os tipos de equipamentos e as empresas que possuem CA. Existe a categoria “Vestimenta de segurança tipo jaleco”.

Para maiores informações sugerimos consultar o MTE:
http://www.mte.gov.br/seg_sau/epi_default.asp

Atenciosamente,

GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA ORGANIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE
CTOSS / GGTES / ANVISA
____________________________________________

Todos os trabalhadores com possibilidade de exposição a agentes biológicos devem utilizar vestimentas de trabalho adequada? É necessária a utilização de jaleco nas recepções de clínicas médicas?

Todo trabalhador de qualquer edificação destinada à prestação de assistência à saúde da população, e todas as edificações destinadas à ações de promoção, recuperação, assistência, pesquisa e ensino em saúde em qualquer nível de complexidade deve utilizar vestimenta de trabalho adequada. Deve usar um equipamento de proteção condizente ao risco biológico o qual está exposto, não existe risco zero, ao adentrar no edifício você já está correndo risco. O documento que define o uso de vestimentas, calçados, EPIs, etc… é o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, descrito na Norma Regulamentadora Nove, NR-9.
O item da Norma a que se refere a pergunta consta na NR-32 e é o 32.2.4.6 (Todos os trabalhadores com possibilidade de exposição a agentes biológicos devem utilizar vestimentas de trabalho adequada e em condições de conforto e a vestimenta deve ser fornecida sem ônus para o empregado e, o mais importante, os trabalhadores não devem deixar o local de trabalho com os EPI e as vestimentas utilizadas em suas atividades laborais. Quando houver contato direto da vestimenta com material orgânico, deve ser responsabilidade do empregador a higienização das vestimentas utilizadas nos centros cirúrgicos e obstétricos, CTI, unidade de pacientes com doenças infecto-contagiosas).

Consulte o Guia Técnico de Riscos Biológicos que foi desenvolvido pela CTPN e está disponível no site do Ministério do Trabalho e Emprego em http://www.mte.gov.br/seg_sau/guia_tecnico_cs3.pdf

O jaleco é EPI. Esta vestimenta se destina a proteger o trabalhador da saúde da insalubridade por risco biológico, já que a contaminação da pele e vestimentas por respingos, toque ou proximidade é praticamente inevitável.

A materia prima precisamente indicada e certificada para o cumprimento das NR´s 06 e 32 é o nãotecido SMS Grau Médico; laudos comprobatórios para Eficiência de Filtração Bacteriana e Viral devem ser requeridos pelo usuário. Os laudos devem atender as exigências da Gerencia Geral de Laboratórios de Saúde Pública – GGLAS/ANVISA que “coordena as ações desenvolvidas pelos laboratórios que analisam produtos sujeitos à vigilância sanitária visando garantir resultados confiáveis à população”. Determina a GGLAS que os laudos de Barreira Microbiana sejam produzidos em laboratórios analíticos habilitados; públicos ou privados, segundo critérios estabelecidos na NBR ISO/IEC 17025, Boas Práticas de Laboratórios – BPL e a ISO/Guia-43, instrumentos internacionais sobre qualidade de serviços e produtos.

Hoje, muitos serviços de saúde ainda utilizam aventais para procedimentos não cirúrgicos produzidos com a matéria prima SPUNBOND; este produto não confere qualquer barreira microbiana.

Descrição sugerida: Avental de procedimentos descartável, não estéril, confeccionado em não tecido processo SMS. Gramatura mínima de 30g/m2. Hipoalergênico, com barreira microbiana comprovada por laudos de BFE e VFE. Manga longa com punho em elástico, sistema de ajuste e fixação através de dois pares de amarrilhos nas costas e cintura. O produto deve atender a NR6 e 32. Embalagem Individual. Apresentar Registro ANVISA e Certificado de Aprovação CA emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Medidas habituais: P, M, G e GG

Cores disponíveis: Branca, Verde e Amarela

II - Avental para procedimentos cirúrgicos:

a) Simples




Descrição sugerida: Avental cirúrgico descartável, estéril, confeccionado em não tecido processo SMS. Gramatura de 45g/m2, Azul. Hipoalergênico. Barreira microbiana comprovada por laudos de Eficiência de Filtração Bacteriana (BFE) e Eficiência de Filtração Viral (VFE). 
Matéria prima Não Citopática comprovada por laudo técnico. 
Manga longa com punho em malha canelada, sistema de ajuste com transpasse nas costas formando OPA e fixação através de dois pares de amarrilhos nas costas e cintura com cartão TAG. 
Toalha absorvente 45cm x 60cm em viscose/poliéster. Indicado para procedimentos cirúrgicos. 
Embalado com dobra cirúrgica em wraps de nãotecido SMS 40g/m2 e reembalado em papel grau cirúrgico. O produto deverá atender integralmente a ABNT NBR 16064 e NR06. Apresentar Registro ANVISA.

Medidas:
1,10m x 1,45m – Médio
1,15m x 1,50m - Grande
1,25m x 1,75m - GG

b) Extra Proteção

Descrição sugerida: Avental cirúrgico descartável, estéril, confeccionado em não tecido processo SMS. Gramatura de 45g/m2, Azul. Hipoalergênico. Barreira microbiana comprovada por laudos de Eficiência de Filtração Bacteriana (BFE) e Eficiência de Filtração Viral (VFE). 
Proteção impermeável nas mangas, tórax e abdome. 
Matéria prima Não Citopática comprovada por laudo técnico. 
Manga longa com punho em malha canelada, sistema de ajuste com transpasse nas costas formando OPA e fixação através de dois pares de amarrilhos nas costas e cintura com cartão TAG. 
Toalha absorvente 45cm x 60cm em viscose/poliéster. 
Indicado para procedimentos cirúrgicos. 
Embalado com dobra cirúrgica em wraps de nãotecido SMS 40g/m2 e reembalado em papel grau cirúrgico. O produto deverá atender integralmente a ABNT NBR 16064 e NR06. Apresentar Registro ANVISA.

Medidas:
1,10m x 1,45m – Médio
1,15m x 1,50m - Grande
1,25m x 1,75m - GG

c) Ultraproteção

Descrição sugerida: Avental cirúrgico descartável, estéril, confeccionado em não tecido processo SMS. Gramatura de 45g/m2, Azul. Hipoalergênico. Barreira microbiana comprovada por laudos de Eficiência de Filtração Bacteriana (BFE) e Eficiência de Filtração Viral (VFE). 
Proteção impermeável nas mangas e região frontal. 
Matéria prima Não Citopática comprovada por laudo técnico. 
Manga longa com punho em malha canelada, sistema de ajuste com transpasse nas costas formando OPA e fixação através de dois pares de amarrilhos nas costas e cintura com cartão TAG. 
Toalha absorvente 45cm x 60cm em viscose/poliéster. 
Indicado para procedimentos cirúrgicos. 
Embalado com dobra cirúrgica em wraps de nãotecido SMS 40g/m2 e reembalado em papel grau cirúrgico. O produto deverá atender integralmente a ABNT NBR 16064 e NR06. Apresentar Registro ANVISA.

Medidas:
1,10m x 1,45m – Médio
1,15m x 1,50m - Grande
1,25m x 1,75m - GG

III - Avental para Quimioterapia

NR 32; 32.3.9.4.6
Com relação aos quimioterápicos antineoplásicos, compete ao empregador:
d) fornecer aos trabalhadores avental confeccionado de material impermeável, com frente resistente e fechado nas costas, manga comprida e punho justo, quando do seu preparo e administração;

Descrição sugerida: Avental para Quimioterapia, não estéril, confeccionado em Polietileno impermeável laminado com Polipropileno hidrofílico. 
Gramatura 50g/m2, Azul. Hipoalergênico, Impermeável ao Álcool e sem emissão de partículas. Manga longa com punho em ribana e alça. Sistema de ajuste e fixação através de dois pares de amarrilhos nas costas e cintura em OPA. 
Embalagem Individual. 
O produto atende a NR6 e NR32 do MTE. 
Apresentar Registro ANVISA e Certificado de Aprovação CA emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Medidas:
1,10m x 1,45m – Médio
1,15m x 1,50m - Grande
1,25m x 1,75m – GG
Obs: A matéria prima Tyvec não é impermeável ao álcool.

IV - Avental para CME:

RDC 15 "O trabalhador dessa área deve utilizar: luvas de procedimento, touca, máscara, óculos de proteção, avental impermeável, calçados fechados e antiderrapantes".

Caracterizado como EPI, o avental de procedimento para CME deverá atender a NR 06 para Certificado de Aprovação CA emitido pelo MTE.

Descrição sugerida: Avental de procedimentos para CME, não estéril, confeccionado em não tecido laminado respirável impermeável. Gramatura 40g/m2, Branco. Hipoalergênico, Impermeável ao Álcool. Manga longa com punho em ribana, sistema de ajuste e fixação através de dois pares de amarrilhos nas costas e cintura. Embalagem Individual. 
O produto deve atender a NR6. Apresentar Registro ANVISA e Certificado de Aprovação CA emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Obs: A matéria prima Tyvec não é impermeável ao álcool.

Medidas habituais: P, M, G e GG